Pessoas e Liderança - Que tal vender seus bois com R$ 27 de ágio?


Esta história envolve uma viagem ao Paraná em 2017, para um evento, e fiquei surpreso com o que vi por lá. A viagem já começou muito agradável, pois meu vôo foi na companhia do amigo Alcides Torres (ou Scot), CEO da Scot Consultoria, referência quando o assunto é mercado de boi. A última vez que estive em viagem com ele foi em uma aventura de trabalho na África, mas conto mais sobre isso em outra oportunidade...

 

Desta vez fomos convidados a palestrar para o pessoal da CooperAliança, uma cooperativa de produtores rurais da cidade Guarapuava. Eu até conhecia a empresa, por ouvir comentários de alguns amigos, mas foi chegando lá que tive a oportunidade de compartilhar de uma experiência muito interessante, que, com certeza, fez da visita uma das mais proveitosas daquele ano!

 

As palestras seriam no período da manhã, então chegamos na véspera, e fomos recebidos pela diretoria e equipe técnica da cooperativa para uma apresentação institucional, seguida de visita à propriedade de um cooperado e, por fim, um jantar com a melhor carne deles, chancelada pelo carimbo da associação dos criadores de angus.

 

Nem preciso mencionar a ótima degustação durante o jantar, mas o ponto alto para mim foi o bate papo e explicações sobre a condução daquele negócio e os diferenciais que proporcionam a oportunidade de receberem ágios muito além do esperado pelo mais otimista dos pecuaristas. Os valores chegavam a incríveis R$ 160 por @, ao mesmo tempo em que o indicador Esalq/BMF apontava R$ 128,52 para a data (10/8/2017)... Nos informaram que, na média, o valor estava (só!!) R$ 27 acima do indicador de mercado!

 

Fiz exatos 14 questionamentos aos gestores da cooperativa, para entender as premissas essenciais que fazem daquele projeto um sucesso. Enquanto ouvia as explicações, já imaginava como aquilo poderia ajudar e apoiar os pecuaristas que hoje passam por um momento de margens cada vez mais apertadas.

 

Se você é pecuarista, deve estar com alguma insegurança sobre o futuro do atual modelo de comercialização dos seus bois gordos e vacas. É certo que vislumbram a necessidade de mudanças que possam lhes confortar e assegurar a continuidade na paixão por produzir alimentos e, consequentemente, transmitir isso a seus filhos.

 

Assim, vou reportar aqui os 4 principais hábitos, pontos diferenciais, cultivados pelos membros da CooperAliança, que fazem a diferença para que atravessem momentos críticos sem muitas dificuldades. Na minha visão, eles conseguem se diferenciar porque:

 

Hábito 1 – Entendem e acreditam que a UNIÃO de pessoas com ideais e objetivos semelhantes gera resultados muito superiores à média, e que a partir desta premissa é possível realizar coisas que pareciam impossíveis;

 

Hábito 2 – Possuem a capacidade de SEGUIR REGRAS E CONTROLES RÍGIDOS, dentro de um modelo pensado e discutido, para que o programa possa seguir sólido e sustentável por muito tempo (por exemplo: os cooperados recebem as escalas de abate com 1 ano de antecedência e devem cumprir as datas);

 

Hábito 3 – Existe extrema DEDICAÇÃO E PAIXÃO pelo trabalho conduzido dentro da propriedade, aliados à TROCA DE EXPERIÊNCIAS com os demais cooperados, sempre com a humildade e sabedoria de buscar novos aprendizados a cada conversa, a cada nova experiência;

 

Hábito 4 – Estão atentos e APLICAM TECNOLOGIA DE PONTA tanto na condução da pecuária como nos seus campos agrícolas (muitos dos cooperados também são produtores de grãos), e atuam de maneira prática e funcional.

Fica aqui a recomendação para uma reflexão e para que cultivem esses hábitos, pois, quem sabe, eles possam fazer toda a diferença no seu negócio também!

 

E se você quiser ter uma análise dos seus hábitos de gestão hoje no seu negócio, na sua fazenda, compartilhamos abaixo uma ferramenta, um INDICADOR que criamos, e trata-se do ÍNDICE TRATTO DE GOVERNANÇA.

(http://www.trattoconsultoria.com/indicetratto/)

 

Construímos este modelo a partir de intensa interação com famílias que atuam no agronegócio, com objetivo de apoiar os projetos e os negócios de cada uma. Você responde em menos de 5 minutos alguns testes e recebe grátis no seu e-mail um relatório com ponderações sobre o seu negócio.

 

Estruturamos a interação de forma bem prática, de modo a balizar cada projeto familiar na busca do aprimoramento da gestão, proteção do patrimônio e consolidação do legado construído. Além disso, estamos montando um banco de dados, uma base estatística, que vai gerar informação inédita no agronegócio brasileiro. Participe!

 

Por Daniel Pagotto.

Rua Benedito Moreira Pinto 5-60 - Bauru - SP (14) 3879.8338
Todos os direitos reservados 2020
Acompanhe: